Lula menciona parceria na China para “alterar a governança mundial”

Notícias Do Mundo


Durante um encontro com o presidente do Comitê Permanente da Assembleia Nacional Popular da China, Zhao Leji, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) expressou seu apoio a uma parceria geopolítica com a China com o objetivo de promover mudanças na governança mundial.

Lula destacou que os interesses na relação entre Brasil e China vão além do aspecto comercial e abrangem também interesses políticos. Ele ressaltou a importância de construir uma nova geopolítica que proporcione maior representatividade às Nações Unidas.

“Não se trata apenas de interesses comerciais, mas também de interesses políticos. Temos o desejo de construir uma nova ordem mundial, onde as Nações Unidas tenham mais voz e representatividade”, afirmou Lula durante o encontro.

Fonte: bbc

Durante o encontro, o presidente brasileiro também fez uma crítica à Organização das Nações Unidas (ONU), sugerindo que ela não possui a força necessária para desempenhar um papel efetivo na manutenção da paz mundial.

Lula expressou sua preocupação com a falta de coordenação e equilíbrio necessários para garantir um ambiente mais pacífico globalmente. Ele enfatizou a importância de fortalecer a atuação da ONU para enfrentar os desafios e conflitos que afetam o mundo atualmente.

“Não podemos nos conformar com uma Organização das Nações Unidas que não tenha a força e a capacidade de coordenar o equilíbrio necessário para que possamos viver em um mundo mais pacífico”, destacou o presidente brasileiro.

Fonte: Colab

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reforçou a importância da parceria entre Brasil e China, descrevendo-a como um relacionamento preferencial para o Brasil. Ele destacou que a China é o principal parceiro comercial do país, com um fluxo significativo de comércio exterior e uma balança comercial substancial. Lula também mencionou que, juntamente com a China, o Brasil tem buscado equilibrar a geopolítica mundial por meio de discussões sobre os temas mais relevantes.

Essas declarações foram feitas após o presidente ter feito críticas ao sistema financeiro internacional em um evento realizado na sede do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), também conhecido como “Banco dos Brics”. Vale ressaltar que o NDB agora é presidido pela ex-presidente Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT). Essa postura do presidente Lula mostra sua busca por uma maior autonomia e influência do Brasil no contexto geopolítico global.