Morre Léon Gautier, último membro vivo da unidade francesa do Dia D, aos 100 anos

Notícias Do Mundo

Léon Gautier, o último membro sobrevivente da unidade francesa do Dia D, faleceu aos 100 anos. Ele desempenhou um papel importante como parte da unidade de comando terrestre francesa durante o Dia D, trabalhando ao lado das tropas aliadas na libertação da Europa durante a Segunda Guerra Mundial.

O anúncio de sua morte foi feito nesta segunda-feira (3) pelo Memorial de Caen, um museu que preserva a história do século XX, por meio de sua conta no Twitter. A causa do falecimento não foi divulgada. A partida de Léon Gautier marca o fim de uma era e nos lembra da importância de honrar e valorizar aqueles que dedicaram suas vidas à defesa da liberdade.

Fonte: Globo

Léon Gautier, um dos 177 comandos da Marinha Francesa que escapou para o Reino Unido durante a invasão da Alemanha à França, foi selecionado para desempenhar um papel de liderança nos primeiros dias do desembarque do Dia D na Normandia, em 6 de junho de 1944.

Gautier, juntamente com sua unidade, participou corajosamente das operações na praia de Sword, enfrentando os desafios e perigos do combate. Sua coragem e dedicação foram essenciais para o sucesso das operações naquele dia histórico.

É importante ressaltar que Gautier foi o último membro sobrevivente dessa unidade notável. Em abril de 2021, perdemos outro membro valioso, Hubert Faure, reforçando a importância de honrar e preservar a memória daqueles que lutaram e sacrificaram suas vidas pela causa da liberdade durante a Segunda Guerra Mundial.

Fonte: Globo

Emmanuel Macron, presidente da França, utilizou as redes sociais nesta segunda-feira para prestar homenagens a Léon Gautier, descrevendo-o como um “herói da Libertação” e enfatizando que ele nunca será esquecido. Em junho de 2021, Gautier recebeu uma das maiores honrarias da França, sendo nomeado Grande Oficial da Legião de Honra.

Na ocasião, Macron conduziu uma cerimônia nos arredores de Paris para marcar o aniversário do famoso discurso de rádio do líder exilado General Charles de Gaulle, proferido em 18 de junho de 1940, convocando o povo francês a se rebelar contra a ocupação nazista. Durante a cerimônia, Gautier, com 98 anos na época, levantou-se de sua cadeira de rodas e permaneceu em pé, apoiado em duas bengalas, enquanto Macron colocava a medalha em seu peito. O presidente francês então o cumprimentou com beijos nas duas faces e um abraço significativo. Essa emocionante cena simbolizou o respeito e a gratidão da nação francesa por sua coragem e serviço.

A nomeação de Gautier como Grande Oficial da Legião de Honra foi um reconhecimento do seu valioso legado e contribuição para a liberdade da França. Sua história e bravura continuarão a inspirar gerações futuras, enquanto seu nome permanecerá para sempre ligado à resistência e à luta pela liberdade durante um dos períodos mais sombrios da história.