Operação policial investiga fraudes milionárias em contratos em quatro cidades de Santa Catarina

Notícias Policiais

Uma operação da Polícia Civil foi realizada nesta terça-feira (4) para investigar suspeitas de fraude em contratos públicos em quatro cidades do Sul de Santa Catarina. Segundo as investigações, os contratos envolvem valores que chegam a R$ 30 milhões. Ao todo, estão sendo cumpridos 27 mandados de busca e apreensão, além de seis mandados de prisão temporária.

Fonte: nsctotal


As investigações sobre as fraudes em contratos públicos nas cidades de Tubarão, Capivari de Baixo, Pescaria Brava e Jaguaruna tiveram início em 2021. Suspeitas de irregularidades no caráter competitivo de procedimentos licitatórios e fraude na entrega dos serviços prestados levaram à apuração desses casos.

De acordo com a polícia, foram analisados um total de 51 contratos firmados entre os anos de 2017 e 2022 nos quatro municípios. O valor total desses contratos aproxima-se de R$ 30 milhões. A investigação visa identificar os responsáveis pelas fraudes e tomar as medidas legais cabíveis.

Fonte: Wiki


Nesta terça-feira, está sendo cumprido um total de 27 mandados de busca e apreensão e seis mandados de prisão temporária nas cidades de Tubarão, Capivari de Baixo, Pescaria Brava, Jaguaruna e Laguna. A operação abrangeu as sedes das empresas envolvidas no esquema, as residências dos investigados e as prefeituras.

O NSC Total entrou em contato com as prefeituras das cidades envolvidas, mas não obteve retorno até o momento da publicação desta notícia. A ação, denominada “Dark Shark”, está sendo coordenada pela 2ª Delegacia de Combate à Corrupção da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DECOR/DEIC). O nome da operação faz referência a um dos contratos suspeitos, no qual teria ocorrido a substituição de todas as lâmpadas do município em um curto espaço de tempo, levantando a possibilidade de a cidade ficar no escuro em determinado momento.

A operação conta com o apoio de equipes da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Criciúma, da Delegacia de Polícia da Comarca (DPCo) de Forquilhinha, da DIC de Laguna, da DIC de Araranguá, da DPCo de Imbituba e da Polícia Científica. As autoridades estão trabalhando para investigar e desvendar o esquema de fraudes nos contratos públicos das cidades envolvidas.