União Brasil propõe aumento do orçamento para fortalecer ministérios

Notícias Políticas

Deputados do centrão buscam aumentar o orçamento dos ministérios sob sua influência

Deputados do centrão estão em negociações para encontrar maneiras de ampliar o orçamento dos ministérios que são destinados ao grupo. Ministérios como Turismo, Comunicações, Integração e Desenvolvimento Regional estão em foco nesse movimento, visando atender aos anseios dos parlamentares por mais emendas e cargos nos estados. Nos próximos dias, espera-se que o presidente Lula anuncie o deputado Celso Sabino (União-PA) como ministro do Turismo, substituindo Daniela Carneiro, que se desfiliou da sigla para ingressar no Republicanos. A legenda sente-se insatisfeita com a representação atual no ministério e está pressionando por essa mudança.

Fonte: UOL

Deputados do centrão visam ampliar o orçamento do Ministério visando atender demandas estaduais

Em paralelo ao objetivo de ampliar o orçamento dos ministérios sob sua influência, os deputados do centrão também planejam aumentar a capacidade de investimento da pasta. Atualmente, o Ministério possui um orçamento de R$ 2,15 bilhões, mas com mais recursos, poderia atender às demandas dos parlamentares em seus respectivos estados, destinando emendas para obras de infraestrutura.

O relatório da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2024 está sob responsabilidade do deputado Danilo Forte (CE) e tem gerado preocupações no Planalto. Nos bastidores, há uma avaliação de que o texto se tornará um dos grandes embates do governo no Congresso a partir do segundo semestre. No entanto, Forte precisa aguardar a aprovação do arcabouço fiscal para produzir o relatório da LDO. As alterações na nova regra já ocorreram no Senado e devem ser analisadas novamente pela Câmara nesta primeira semana de julho.

Devido ao tempo limitado para aprovar a LDO em julho, a discussão da matéria será adiada para agosto, após o recesso informal.

Fonte: VA

Gestão de Lula enfrenta obstáculos na construção de base na Câmara dos Deputados

A administração do presidente Lula tem enfrentado dificuldades na construção de uma base sólida na Câmara dos Deputados. Parte dos impasses é atribuída à falta de articulação dos ministros Alexandre Padilha (Relações Institucionais) e Rui Costa (Casa Civil) no Palácio do Planalto.

Um dos momentos em que a falta de articulação ficou evidente foi durante a tramitação da Medida Provisória (MP) dos Ministérios. O presidente Lula teve que intervir diretamente e negociar com os deputados para evitar o que poderia ter sido uma grande derrota em seu terceiro mandato. O texto sofreu alterações, mas Lula acabou cancelando parte delas. Os vetos ainda serão analisados pelo Congresso.

Durante as negociações, um acordo foi alcançado, que incluiu a liberação de R$ 1,7 bilhão em emendas parlamentares e a promessa de uma troca ministerial que ainda está por ser concretizada.